segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Anime-se

Anime = é o diminutivo de animēshon (アニメーション), transcrição japonesa da palavra inglesa animation (animação),ou do francês animée (animado). De modo geral, são desenhos animados, filmes, séries… produzidos no Japão.

Quem nunca assistiu nenhum desenho animado japonês? Claro que há desenhos e Desenhos.

Recordo-me de vários desenhos japoneses: “A princesa e o cavaleiro”, “Speed Racer”, “D’Artagnan e os três mosqueteiros”… meu marido gostava de “Patrulha Estelar” (Star Blazers), meus alunos me enlouqueciam tentando desenhar “Os Cavaleiros do Zodíaco” e “Pokemon”, meu filho gosta de “Naruto” e “Os jovens Titans”.

Nunca me esqueci dos filmes “O príncipe e o dragão de oito cabeças” (1963) e Magic boy” (1959), que sempre assistia na Sessão da Tarde. Aqui uma amostra:



Foram produzidos pela Toei Animation, que também fez muitos seriados e filmes. De lá saiu Hayao Miyazaki, co-fundador do Studio Ghibli, um dos melhores que conheço.

O primeiro desenho do Studio Ghibli que assisti foi “Tonari no Totoro”,




As produções do Studio Ghibli são incríveis, as imagens são impressionantes e narram a tranformação do personagem principal através das dificuldades. Estamos adquirindo os DVDs do Studio Ghibli para o filhote, abaixo os links dos trailers e indicação da loja onde os achamos:
A princesa Mononoke
A viagem de Chihiro” (compramos na Americanas)
O Reino dos Gatos” (Walmart)
O Castelo no céu
O castelo animado” (Livraria Cultura, mas o site da Playarte também vende)

Assisti os desenhos várias vezes para desfrutar do trabalho artístico e relembrar o pouco japonês que sei. As legendas são terríveis, mas vale a pena mesmo assim.
Desde que comecei a escrever este post, meu filho está obcecado pela Patrulha Estelar.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Marido desobediente…

…comprou o livro “O artífice” para mim, mesmo avisado de que não poderia fazer isso.
A desculpa foi: “Comprei de segunda mão, na língua original e paguei mais barato do que a tradução brasileira, frete incluído.” Ai Amazon.

Casei com um homem que deve ter algum parentesco distante com o José Midlin, só falta o dinheiro.

Na verdade o problema tem outras raízes. Ele sempre gostou de ler. Está no sangue, dois antepassados no rol do cânon literário brasileiro. Brinco com meu filho dizendo que o pai gosta tanto, mas tanto de ler que seu apelido é Lê.
Uma vez visitamos um senhor suíço que tinha o mesmo vício, digo hábito. A casa dele tinha paredes repletas de estantes de livros em fila dupla. O carro ficava na rua porque a garagem estava cheia de livros. Os únicos lugares do apartamento onde os livros não ficavam eram a cozinha e o atelier da esposa. O mais impressionante é que ele sabia a localização de cada obra. Os olhos do Lê brilhavam, a boca conservou o sorriso bobo de quem gostou da idéia. Já fui avisando que aquilo era demais.

Hoje nossos livros estão se multiplicando, já estão em filas duplas nas estantes. Não sei onde se acasalam, é uma espécie muito discreta. Meu filho já tem uma biblioteca maior que algumas escolas de educação infantil.
Proibi meu marido de me dar livros de presente de aniversário e natal.
Mas de vez em quando ele me desobedece. Tudo bem, dessa vez passa.

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Tireoidite de Hashimoto, ou, minha tireóide está me deixando na mão

Há três anos fui parar no pronto socorro com falta de ar. Fiz inalação, tomei alguns medicamentos e o médico comentou que bronquite ou asma não tinham cura. O problema é que eu nunca tive nenhuma das duas, ele duvidou.
Voltei novamente ao pronto socorro com falta de ar, arritmia cardíaca e um cansaço inexplicável. Lá vamos nós em busca do diagnóstico correto: pneumatologista, cardiologista, alergista, exames, exames, exames, até Holter eu fiz… nada. Desisti.
Depois, duas gravidezes que não chegaram a dois meses: probabilidade de lúpus, lá vamos nós ao reumatologista, ou problemas na tireóide. Bingo!

Estou com tireoidite de Hashimoto, um problema autoimune, ou seja, meu corpo está atacando a tireóide. A falta de ar, os batimentos cardíacos irregulares, o cansaço, a depressão, o esquecimento, a queda de cabelo, a pele horrorosa, a suspeita de lúpus, a perda dos bebês, tudo por causa desta bendita glândula.
Há dois anos estou na luta, mas talvez, agora eu precise tomar o hormônio.

sábado, 1 de agosto de 2009

Quero ler:


“O Artífice” — Richard Sennett

“Habilidade artesanal designa um impulso humano básico e permanente, o desejo de um trabalho bem feito por si mesmo…”

sexta-feira, 31 de julho de 2009

Olympus pen…

Criatividade + trabalho, muuuiitoo trabalho=



http://olympus.eu/penstory/

Experimente:
http://www.olympus-europa.com/consumer/pen.htm#liveexperience

Estou PENsando muito, muito mesmo, mas o juízo é grande e o dinheiro é pequeno.

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Meias sobrepostas

Escrevi um correio eletrônico para um post participativo, infelizmente o correio voltou porque a caixa postal estava cheia, não participei, fica para a próxima. O asssunto era sobre meias invernais. Então, publico um post sobre o assunto aqui.

Há meses comprei umas meias coloridas e uma de renda. Usei assim:

Roupas de brechó, óculos Ray-ban vintage, bolsa brinde de revista, meias da estação passada sobrepostas. Quem disse que para se vestir bem é necessário gastar muito?

Detalhe da sobreposição:

domingo, 12 de julho de 2009

Ai! Lançaram a nova Olympus Pen

Há 50 anos atrás a Olympus Pen foi lançada. Pequena, versátil. Fazia o dobro de fotos indicadas no rolo de filme. Este ano lançaram a nova Olympus Pen digital E-P1 — é fantástica, troca lentes. Se alguém quiser me dar de presente, que não seja meu marido, agradeço.